Pular para o conteúdo principal

Sobre Nós

Aberto

Segurança na soldagem: conheça as boas práticas

Segurança na soldagem

A garantia de segurança na soldagem é essencial para manter o bem-estar e prevenir acidentes com quem exerce a atividade no dia a dia. Logo, os riscos e cuidados necessários para lidar com solda precisam ser conhecidos e fazer parte da rotina dos funcionários de uma funilaria, por exemplo.

Diante da relevância do assunto, neste post, você vai encontrar os principais riscos, os equipamentos de proteção individual recomendados e as boas práticas para promover um ambiente de soldagem seguro.

Portanto, acompanhe como é importante estar atento à proteção e à saúde dos envolvidos em processo de solda!

Quais são os principais riscos na soldagem?

Todos os profissionais que trabalham com solda precisam conhecer os riscos que o processo pode ocasionar. Ao ter noção dos problemas, a conduta do soldador pode se tornar mais adequada, preventiva e atenta.

Dessa forma, se você é dono de funilaria ou outros negócios que utilizem a soldagem, sempre vale retomar riscos com seus colaboradores e investir em treinamento, equipamentos e ações de proteção.

Para detalhar, confira os principais riscos dos processos com solda e entenda os motivos para não deixar a segurança na soldagem de lado.

Fumos de soldagem

Durante a tarefa para soldar alumínio ou qualquer outro material, algumas partículas de gases e fumaça se desprendem do material que está em manuseio. Essas partículas entram em contato com o oxigênio, oxidam e se formam os fumos de soldagem.

É importante reforçar que eles são altamente prejudiciais para a saúde e podem apresentar malefícios com diferentes sintomas no trabalhador. Diante disso, vale destacar que alguns problemas de saúde podem acontecer pelo contato diário com fumo da soldagem, sem a proteção devida, como:

  • irritação nos olhos, nariz e peito;
  • asma, bronquite e pneumonia;
  • doenças de pele e alergias;
  • doenças neurológicas;
  • diminuição da capacidade pulmonar.

Choque elétrico

Outro risco a ser citado é o choque elétrico. A descarga elétrica que pode acontecer durante o processo de soldagem ocasiona acidentes desde os mais leves, como queimaduras, até casos que podem levar o soldador a óbito.

Evidentemente, todo o cuidado é pouco, pois o eletrodo e o circuito de trabalho são energizados logo ao iniciar o processo de soldagem, assim como o circuito das máquinas de solda.

No caso dos soldadores, o tipo mais comum de choque elétrico é o promovido pelo circuito de soldagem a arco, que oscila entre 20 a 100 volts. Considerando que descargas elétricas de 50 volts são capazes de ferir e até matar uma pessoa, fica reforçada a atenção necessária durante a solda.

Incêndio

As faíscas, bem características da soldagem, são formadas por um metal líquido que resulta do processo de solda. É normal que esse metal líquido respingue enquanto o soldador trabalha, o que pode ocasionar focos de incêndio.

Por isso, antes de começar a trabalhar, o soldador deve conferir o local: verificar se não há materiais inflamáveis e observar papéis, plásticos, e o que mais esteja próximo do ambiente de soldagem.

Uma dica valiosa é manter cilindros de extintores de CO₂ e equipamentos que combatem incêndios nas proximidades, desde que o armazenamento correto de cilindros siga as regras do fabricante.

Ruídos

Trabalhar com soldagem requer operar máquinas diariamente com ruído. Isso pode impactar de forma negativa a vida do trabalhador, pois o barulho constante tende a afetar a saúde de diversas formas, como danos auditivos e também acidentes, por impedir que o soldador ouça algum alerta.

Além disso, os ruídos podem formar tensões corporais, que impactam o estado físico e mental do indivíduo.

Clarão do arco elétrico

Todo o cuidado com a solda é necessário para evitar problemas que podem afetar partes do corpo de extrema importância, como os olhos. Isso porque no momento de abertura do arco elétrico, é gerado um clarão muito forte que, em contato diretamente com os olhos do soldador, pode causar cegueira.

Quais são os EPIs necessários para o momento da soldagem?

Os equipamentos de proteção individual (EPIs) são recomendados para atividades que apresentam algum tipo de risco. No caso dos soldadores, a lista é um pouco extensa, mas cada um deles protege e assegura a saúde o bem-estar do trabalhador. Confira!

Máscara

Este item é um dos mais importantes para o processo de solda. A máscara protege a face dos respingos e da iluminação ocasionada, além de contar com proteção ultravioleta.

Vale lembrar que existem modelos manuais e automáticos da máscara de solda, no qual o segundo modelo apresenta uma funcionalidade de escurecimento da viseira, dependendo da situação.

Luva

Conhecidas como luvas de segurança, elas são fundamentais para o trabalho do soldador. Afinal, o equipamento protege as mãos de diversas adversidades: choque térmico, contato com materiais corrosivos ou tóxicos, cortes, etc. Há diversos modelos de luvas, mas podemos dizer que as mais utilizadas são os tipos vaqueta ou raspa.

Ainda, no caso da soldagem a arco elétrico, a luva também age como isolante elétrico, evitando que o trabalhador sofra choques.

Óculos de proteção

Você deve estar se perguntando os motivos para a indicação dos óculos de proteção, enquanto temos máscara no topo da lista. Acontece que nem todos os modelos de máscara apresentam uma proteção específica para os olhos. Diante das faíscas, das radiações e dos riscos que elas podem ocasionar, a proteção ocular é altamente recomendada, além de evitar a cegueira, citada anteriormente.

Protetor auricular

Já falamos sobre o risco que o ruído da soldagem pode gerar com o passar do tempo em quem opera funções com solda, lembra? É exatamente por isso que o uso de protetores auriculares é indicado.

Existem muitos modelos que podem variar conforme os decibéis do ambiente de trabalho. Somado a isso, saiba que o protetor auricular é o único equipamento indicado para reduzir danos auditivos, por isso, deve ser obrigatório.

Avental

Assim como a máscara, que protege a face de respingos e de radiações, o corpo também precisa ser protegido — geralmente, o avental é o equipamento de proteção indicado. Um ponto de atenção é que o avental precisa, além de proteger, ser confortável e não inibir nenhum tipo de movimento do soldador.

Quais são as boas práticas para garantir a segurança na soldagem?

Além do uso de EPIs, há duas dicas que fazem toda a diferença para manter a segurança na soldagem. A primeira delas é a ventilação: é extremamente importante que o ambiente no qual o trabalho com solda esteja sendo realizado, seja ventilado. Assim, é possível evitar sufocamentos, intoxicação, incêndios e demais acidentes.

A outra dica é o posicionamento do soldador em relação à solda. É fundamental identificar a melhor posição e manter uma postura confortável para minimizar as possibilidades de acidentes e problemas de saúde associados a LER (lesões por esforços repetitivos).

Equipamentos e medidas de segurança na soldagem são requisitos obrigatórios para manter o local de trabalho seguro e os funcionários devidamente protegidos. Por isso, sempre repasse os EPIs necessários com a equipe de trabalho, verifique as condições e os prazos de validade de cada item e não permita que pessoas trabalhem sem proteção.

Se você gostou deste conteúdo, compartilhe nas redes sociais com seus colegas de trabalho, para que mantenham a segurança sempre!