Pular para o conteúdo principal

Sobre Nós

Aberto

Entenda por que e como separar o dinheiro da empresa do pessoal

Como separar o dinheiro da empresa do pessoal

Você sabe como separar o dinheiro da empresa do pessoal de forma correta? Entende a importância disso para a saúde financeira do seu negócio? Visando ajudar nessas questões, vamos explicar ao longo deste artigo a melhor forma de organizar a vida financeira e desatrelar a particular da empresarial.

A seguir, confira as dicas práticas que reunimos para você não ter dúvidas na hora de separar o dinheiro da empresa e das contas pessoais!

Por que é tão importante separar as finanças pessoais da conta da empresa?

Talvez, quem ainda não separa as contas pessoais das finanças da empresa pode ter dúvidas da real importância de ter esse cuidado ao administrar as receitas, despesas, caixa, pagamentos e outras responsabilidades do negócio.

Pensando nisso, confira os motivos que reforçam a importância de saber como separar o dinheiro da empresa do pessoal!

Visão financeira

Para saber se a empresa está indo bem ou mal, é importante ter a visão segmentada do fluxo financeiro. Afinal, colocar dinheiro pessoal para cobrir o estoque de um bar, por exemplo, ou retirar do caixa a fim de quitar boletos pessoais pode ocasionar uma desordem nas suas contas.

Dessa forma, você pode não conseguir controlar seus gastos pessoais ou comprar insumos para o seu negócio. Além disso, essa falta de controle pode impactar cumprimentos legais que são importantes para que a empresa opere legalmente, dentro das diretrizes de mercado e governamentais.

Fiscalização

Ao não ter os registros financeiros regulares e feitos corretamente, os problemas podem transparecer situações de irregularidades, e a administração do negócio ficar complicada com o questionamento de fiscalizações legais, como a Receita Federal.

Além de prejudicar a gestão, o não cumprimento de normas e leis pode ocasionar retrabalhos e multa, mesmo que seja apenas por um descuido ou desconhecimento da sua parte. Portanto, caso sinta necessidade, a ajuda de um profissional de contabilidade pode ser de grande valia.

Controle financeiro e contábil

O risco de perder o controle financeiro e contábil da empresa ao misturar a administração do CNPJ com o CPF é latente para quem não acompanha as movimentações do dinheiro corretamente.

Logo, para saber se a empresa está dando lucro ou prejuízo, se bateu as metas ou se fechou o mês no azul, é fundamental ter dados certos e reais, condição que pode ser impactada por quem não prioriza a organização financeira.

Crescimento sustentável

Como você imagina que sua empresa possa crescer? Evidentemente, muitas delas podem passar pela sua cabeça, mas boa parte deve estar relacionada com investimentos, certo?

Dito isso, para aproveitar oportunidades para investir, aprovar um financiamento, incorporar novos sócios e qualquer outra estratégia que seja importante mostrar o desempenho da empresa, é mais um exemplo de como é relevante ter as contas separadas.

Como separar o dinheiro da empresa do pessoal?

Que tal começar a colocar a mão na massa? Para separar a vida financeira empresarial da pessoal, é recomendado ter em mente que sua empresa não é uma extensão das suas atividades particulares. Ela merece, sim, atenção redobrada quando o assunto for gestão financeira.

Somado a isso, acompanhe seis dicas práticas de como separar as finanças pessoais e as contas da empresa!

Defina o pró-labore

Quem é dono de empresa, geralmente, recebe o pró-labore, enquanto os funcionários costumam receber o salário. Para entender a diferença de uma forma bem simples, o pró-labore é uma remuneração flexível e direcionada aos sócios do negócio.

Além disso, definir as condições do pagamento dos sócios ajuda a manter a organização das contas, ampliar a visão para destinar recursos para investir no próprio negócio e oficializar essa importante movimentação financeira.

Tenha contas bancárias separadas

Por mais que você ache simples gerenciar as movimentações financeiras na mesma conta bancária, saiba que esse não é o melhor caminho.

Sem falar que não ter uma conta bancária do seu CNPJ pode dificultar algumas negociações com clientes e fornecedores, limitar o desenvolvimento da sua empresa, além de dificultar o trabalho de quem executa as atividades financeiras do seu negócio.

Por outro lado, se você é dono e ainda cuida das questões financeiras, não se esqueça de que, para desenvolver a sua gestão, terá que dar atenção a questões mais diretivas e, naturalmente, outras pessoas serão preparadas para essas atividades.

Adote planos corporativos

Existem planos para a contratação de serviços destinados a empresas, como internet e linhas de financiamento. Por isso, sempre que precisar contratar algum tipo de serviço, busque informações dos planos corporativos. Eles costumam apresentar vantagens, diferenciais e atendimento personalizado, dependendo da proposta.

Dessa forma, além de aproveitar os benefícios oferecidos, você vincula os custos ao seu CNPJ e ajuda a manter a organização das contas.

Acompanhe de perto o fluxo de caixa

Quer um bom termômetro do cenário financeiro da sua empresa? Então, acompanhe o fluxo de caixa e tenha atenção para considerar todos os apontamentos que correspondem à sua empresa nele.

É importante registrar apenas as movimentações empresariais e não deixar nenhuma delas de fora do seu controle. Em contrapartida, não considere nenhum dos seus recursos pessoais.

Não empreste dinheiro

Lembre-se de que o lucro e as receitas da sua empresa devem ser destinados para cumprir suas obrigações e investir no crescimento do negócio. Evite mexer no fluxo financeiro para fazer empréstimos ou outros fins que não estão atrelados aos objetivos empresariais, como emprestar dinheiro.

Além de fugir dos empréstimos, os investimentos também precisam ser destinados de forma que colaborem para o desempenho do negócio. Se você tem uma empresa de festas infantis, por exemplo, o dinheiro recebido com seus serviços deve ser reinvestido, como na compra de balões metalizados e gás hélio, decoração temática, entre outros itens.

Agora, imagine chegar no dia do evento e você não conseguir entregar tudo o que prometeu por que gastou o dinheiro em contas pessoais. Seria um grande problema, não é? Por isso, evite que isso aconteça adotando um bom planejamento.

Tenha um orçamento anual

Se você tem as contas da empresa organizadas, consegue fazer um estudo de previsibilidade e organizar um orçamento anual e planejamento financeiro. Além de ser uma ferramenta estratégica altamente recomendada, o orçamento ajuda a dar a dimensão de quanto é possível investir e quanto é necessário economizar, sem considerar o dinheiro que está no seu bolso pessoal.

Por fim, é pertinente destacar que, além de saber como separar o dinheiro da empresa do pessoal, a relação entre a saúde financeira empresarial e o crescimento do negócio é direta. Uma empresa só tem fôlego para se desenvolver, caso tenha o controle de suas movimentações e a real noção do seu cenário. Se você é dono ou gestor, essa é a principal mensagem que deve absorver para lidar da melhor forma, com as melhores estratégias.

Gostou deste conteúdo? Para ter acesso a outros materiais, basta acompanhar nosso perfil no Facebook, no YouTube e no LinkedIn!